Uma Viagem Pessoal Pela História do Cinema

ÍNDIOS EM HOLLYWOOD

.

.

1

 richard harris em “um homem chamado cavalo”

.

.

.

.

.

Por muitas décadas, os ÍNDIOS norte-americanos lutaram bravamente contra a colonização ambiciosa e sanguinária do homem branco, procurando defender seus territórios. Acabaram massacrados ou confinados em pequenas reservas. Foi um processo de extermínio de forma gradual, extensa e dolorosa. Começou em 1834, quando o governo empurrou os índios para oeste do Mississipi, decretando que, do rio em diante, a terra seria deles para sempre, o que não aconteceu. Em 1843, cerca de mil colonos abriram a trilha do Oregon, violando o território indígena. Pouco depois, em 1846, os Estados Unidos declararam guerra ao México e suas tropas utilizaram as terras destinadas aos índios para chegar na área do conflito. Dois anos depois, foi descoberto ouro na Califórnia, e uma enxurrada de aventureiros em carroções penetrou em território indígena novamente. Durante este período, os colonizadores foram abocanhando o território das tribos e criaram os estados da Califórnia, Kansas e Nebraska. Povos como os Sioux Oglalas, Hunkpapas, Sans Arcs, Minneconjous, Brulés e Cheyennes; e chefes lendários como Touro Sentado, Gerônimo, Cochise, Nuvem Vermelha e Cavalo Louco, inspiraram Hollywood em muitos faroestes. Até o final dos anos 1940 eram filmes racistas, pareciam dizer que índio bom era índio morto, sem qualquer afeição pelos nativos norte-americanos. Nos anos 50, felizmente, houve uma expressiva evolução na mentalidade cinematográfica hollywoodiana, e o público passou a conhecer a luta pela sobrevivência, heroica e inglória, dos povos indígenas. Desde então, o cinema retrata a causa indígena com outros olhos. Listo 10 bons exemplos.

 .

.

.

.

o caminho do diabo 2

robert taylor e paula raymond

 .

.

O CAMINHO DO DIABO

(Devil’s Doorway, 1950)

de Anthony Mann

Com Robert Taylor, Louis Calhern, Paula Raymond, Edgar Buchanan e Spring Byington

 .

Após lutar na Guerra Civil, índio retorna para a sua terra e descobre que o seu povo está sendo perseguido, graças às maquinações de um vil advogado, que faz tudo de forma legal, mas não justa. Incapaz de usar a lei para proteger a sua gente, ele é visto como um renegado. Foi o primeiro de muitos faroestes realizados por Anthony Mann. Inovou ao colocar o índio como indivíduo consciente e vítima do processo de ocupação do oeste, e não mais como um selvagem ingênuo ou cruel. Por isso, o estúdio – MGM – relutou em lançá-lo, mas quando o fez, o filme mostrou a que veio, causando impacto e polêmica.

 .

.

.

3

james stewart

.

.

FLECHAS DE FOGO

(Broken Arrow, 1950)

de Delmer Daves

Com James Syewart, Jeff Chandler, Debra Paget e Will Geer

 .

Em 1870, a guerra cruel entre os colonizadores e os Apaches durava 10 anos. Ex-soldado salva a vida de um índio Apache e começa a compreender os nativos. Ele aproveita a aproximação para tentar um entendimento. Contra todas as probabilidades, a sua missão solitária na fortaleza de Cochise abre um diálogo. Indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (Chandler), Melhor Fotografia (Ernest Palmer) e Melhor Roteiro (Albert Maltz). Notável por ser um dos primeiros western a retratar os nativos norte-americanos de forma simpática e equilibrada.

 .

.

.

6

charlton heston

.

.

TRÁGICA EMBOSCADA

(The Savage, 1952)

de George Marshall

Com Charlton Heston e Susan Morrow

 .

Homem branco criado pelos índios Sioux se vê dividido quando sua tribo entra em guerra. Belas paisagens muito bem fotografadas e ótimo roteiro de Sydney Boehm, reforçado pela garra de Heston como o protagonista.

 .

.

.

4

jean peters

 .

.

O ÚLTIMO BRAVO

(Apache, 1954)

de Robert Aldrich

Com Burt Lancaster, Jean Peters, John McIntire e Charles Bronson

 .

Conta a emocionante história do último guerreiro Apache na luta pelos direitos do seu povo, dando origem a uma das maiores lendas do sudoeste norte-americano. Grande momento da dupla Aldrich-Lancaster. Logo a seguir fariam outro clássico: “Vera Cruz / Idem” (1954), com Gary Cooper.

 .

.

.

5

rex reason

.

.

HERANÇA SAGRADA

(Taza, Son of Cochise, 1954)

de Douglas Sirk

Com Rock Hudson, Barbara Rush e Rex Reason

 .

Três anos após o final das Guerras Apache, o chefe pacificador Cochise vem a falecer. O seu filho mais velho divide com o pai as mesmas idéias sobre a paz entre os povos, mas seu irmão anseia pela guerra. E também por destronar o sucessor e conseguir o amor de uma bela Apache. Ele não perde tempo para começar uma nova briga com o homem branco, e graças ao orgulho desmedido do oficial da cavalaria local, o estopim da guerra explode. Uma das melhores aventuras do mestre Sirk, com deslumbrante fotografia de Russell Metty. Rock não faz feio como o chefe guerreiro do título original.

 .

.

.

2

jeffrey hunter

 .

.

A LEI DO BRAVO

(White Feather,1955)

de Robert D. Webb

Com Robert Wagner, John Lund, Debra Paget, Jeffrey Hunter e Virgínia Leith

 .

Coronel de cavalaria, enviado para tentar convencer uma tribo a se mudar para outra reserva, tem problemas na missão quando seu assistente se apaixona por uma rebelde e bela índia, a prometida de um guerreiro. Um faroeste pró-índios com um enredo muito inteligente. A sensualidade de Hunter como Pequeno Cão rouba muitas cenas.

 .

.

.

8

debra paget e stewart granger

.

.

A ÚLTIMA CAÇADA

(The Last Hunt, 1956)

de Richard Brooks

Com Robert Taylor, Stewart Granger, Lloyd Nolan, Debra Paget, Russ Tamblyn e Constance Ford

 .

No início de 1880, poucos milhares de búfalos restaram no nordeste norte-americano, cujo rebanho com milhões de animais havia alimentado e aquecido toda a civilização indígena durante séculos. Um caçador profissional parte em busca dos últimos búfalos, e no seu caminho cruza com outro caçador, este simpatizante dos índios.

.

.

.

10

charles bronson e rod steiger

.

.

RENEGANDO O MEU SANGUE

(Run of the Arrow, 1957)

de Samuel Fuller

Com Rod Steiger, Sarita Montiel, Brian Keith, Ralph Meeker e Charles Bronson

 .

Depois de ser derrotado na Guerra da Secessão, por ódio aos yankes, um soldado vai para o Oeste e se integra aos índios Sioux. Ele acaba representando os índios em negociações com os homens brancos e, depois de desacertos, precisa decidir entre ficar a favor ou contra sua pátria.

 .

 .

.

11

.

.

O CREPÚSCULO DE UMA RAÇA

(Cheyenne Autumn, 1964)

de John Ford

Com Richard Widmark, Carroll Baker, Karl Malden, Sal Mineo, Dolores del Rio, Ricardo Montalban, Gilbert Roland, James Stewart e Edward G. Robinson

 .

Em 1878, o governo deixa de entregar os suprimentos necessários à tribo indígena Cheyenne, levando centenas de índios a saírem da reserva em Oklahoma até o Wyoming, local onde sempre viveram. Um Capitão da Cavalaria tem a missão de conter os índios, mas, durante o percurso, passa a respeitá-los. Belíssimo western de John Ford, compensando a longa seqüência de matança de índios em muitos de seus filmes. Segunda e intensa colaboração do diretor com a estrela mexicana Del Rio. Astro do cinema mudo, Gilbert Roland concorreu ao Globo de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante.

 .

 .

.

7

dustin hoffman

.

.

PEQUENO, GRANDE HOMEM

(Little Big Man, 1970)

de Arthur Penn

Com Dustin Hoffman, Faye Dunaway, Chief Dan George e Martin Balsam

.

Adaptação do original romance de Thomas Berger sobre as memórias de um velho de 121 anos que evoca os seus tempos no Oeste, vivendo entre dois mundos, o dos pioneiros e o dos norte-americanos nativos que o tinham raptado em criança no ataque a uma caravana. Uma revisão de alguns mitos da história e clichês do western. O ator indígena Chief Dan George (1899-1981) foi indicado ao Oscar e ao Globo de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante, ganhando diversos outros prêmios. Faye está sensacional como a Sra. Pendrake. Uma deusa! O filme trata a violência com habilidade e até muito humor.

 .

.

.

12

richard harris

.

.

UM HOMEM CHAMADO CAVALO

(A Man Called Horse, 1970)

de Elliot Silverstein

Com Richard Harris, Judith Anderson, Jean Gascon e Iron Eyes Cody

 .

Um aristocrata inglês, de modos refinados, faz parte de uma expedição em Dacota em 1821, quando é capturado pela tribo dos “Mãos Amarelas”, índios da nação Sioux. Escravizado e tratado como um animal de carga pelos guerreiros, depois é colocado para trabalhar com as mulheres da tribo, em seus afazeres domésticos. Com o tempo ele aprende a respeitar a cultura nativa, ao mesmo tempo em que seus captores o aceitam como um dos seus. Ele chega a matar dois índios de tribos rivais (e os escalpela) e com isso consegue receber o almejado status de “guerreiro”, passando a ser chamado de Cavalo. Deseja casar-se com uma índia, mas para isso deve passar por todo o doloroso ritual imposto pelas tradições da tribo. Ótima participação da veterana Dame Judith Anderson como Chefe Cabeça-de-Vaca. Focalizando traços profundos da cultura indígena, o filme teve duas continuações: “A Vingança de um Homem Chamado Cavalo / The Return a Man Called Horse” (1976) e “O Triunfo de um Homem Chamado Cavalo / Triumphs of a Man Called Horse” (1983).

.

.

.



6 comentários sobre “ÍNDIOS EM HOLLYWOOD”

  1. Edivaldo Martins disse:

    FELIZ RENORNO, AMIGO!
    PODERIA, ALÉM DOS CITADOS, FAZER PARTE DA SUA LISTA OS SEGUINTES WESTERNS: CAMINHOS ÁSPEROS(HONDO);ÍNDIO HERÓICO(SITTING BULL);A ÚLTIMA CARROÇA(THE LAS WAGON);7 HOMENS SEM DESTINO(7 MEN FROM NOW);MAIS FORTE QUE A VINGANÇA(JEREMIAH JOHNSON);QUANDO É PRECISO SE HOMEM(SOLDIER BLUE);ENTERREM MEU CORAÇÃO NA CURVA DO RIO(BURY MY HEART AT WOUNDED KNEE) E O MARAVILHOSO DANÇA COM LOBOS.
    OBSERVAÇÃO: O INDIO DA FOTO NO WESTERN HERANÇA SAGRADA, NÃO É ROCK HUDSON E SIM REX REASON, CREDITADO NO FILME COMO BART ROBERTS.
    GO AHEAD, MY FRIEND!

  2. Daniele Moura disse:

    Parabéns, meu querido!!!!
    Está tudo muito lindo!
    Vitória!
    Um abraço
    Dani

  3. Rafael Amaral disse:

    Parabéns, sabia que não ia deixar morrer. E voltou melhor do que nunca!

  4. Lúcia Helena Pereira disse:

    até hoje gosto dos filnes antigos, com indios. Jefrey Hubrner…

  5. Maximiliano disse:

    Antônio

    que bom vc de volta a atividade por aqui.

    Fantástica listagem. Já assisti quase todos os filmes citados e são excelentes. Gostaria de acrescentar mais um: Boris Karlof como índio em “O Último dos Moicanos” de 1920.

    Curiosamente, outro mestre do terror, Bela Lugosi, também interpretou um índio ainda no começo da carreira…

    Online: http://telecinebrasil.blogspot.com.br/2011/05/o-ultimo-dos-moicanos-last-of-mohicans.html

    Grande abraço.

    Maxx.

  6. EDIVALDO MARTINS disse:

    UMA CURIOSIDADE: NO GRANDE WESTERN RENEGANDO MEU SANGUE, SARITA MONTIEL,É DUBLADA(VOZ) POR ANGIE DICKINSON!!!!!!!!!!!

Deixe um Comentário

*

*